2ª feira, 22 de Maio de 2017 , 10h45 > FCSH/NOVA - ID Sala 0.06

Organização: DINÂMIA'CET-IUL e IHC-FCSH/NOVA

Seminário de Investigação: Cidade e Comunismo

Seminário coordenado por Ana Drago (DINÂMIA'CET-IUL) e José Neves (IHC-FCSH/NOVA).

A partir de Outubro de 2017

Em colaboração com diferentes instituições e grupos, e tendo como tema a Revolução de Outubro, decorrerá um ciclo musical que inclui um concerto de música de câmara, um concerto coral e uma sessão de fado e poesia.

4ª feira, 4 de Outubro de 2017 , hora a determinar > Museu Nacional de História Natural e da Ciência - Universidade de Lisboa (MUHNAC), Lisboa

Organização: MUHNAC e IHC-CEHFCi/UE

Exposição

Margem Esquerda: A Revolução Russa e a Cultura Científica em Portugal no século XX

Esta exposição pretende apresentar ao grande público uma visão geral sobre o impacto direto ou indireto que a revolução russa e a ciência soviética tiveram sobre o pensamento, a prática e a cultura científicas em Portugal no século XX. Estão previstos quatro eixos temáticos:

  1. Marxismo e Pensamento Científico
  2. A Ciência Soviética vista de Portugal
  3. Guerra Fria e Ciência
  4. Ciência e Intervenção Social

Outubro de 2017 , dias e horas a determinar > Teatro Nacional Dona Maria II, Lisboa

Organização: Teatro Nacional Dona Maria II

Voz Alta

Festival de leituras

Organizado pelo TNDMII, o festival será composto por diversas leituras encenadas, contando também com um programa de debates e de lançamentos de livros. Parte das leituras encenadas terá como objecto peças resultantes do Laboratório de Escrita para Teatro, no qual colaboraram investigadores da equipa coordenadora do programa de iniciativas em torno do Centenário da Revolução de Outubro.
O programa completo do festival será anunciado futuramente.

Outubro de 2017 , dias e horas a determinar > FCSH/NOVA, Lisboa

Organização: IHC-FCSH/NOVA

Como fazer a história do comunismo

Masterclass com David Priestland

David Priestland é professor na Universidade de Oxford e autor de, entre outros, A Bandeira Vermelha, livro aclamado pela sua capacidade de oferecer um olhar crítico - e, no entanto, distanciado do clima de Guerra Fria - sobre a experiência comunista. Traduzido em várias línguas, o livro conheceu recente edição também em Portugal.

19 a 29 de Outubro de 2017 > Óbidos

Folio - Festival Literário Internacional de Óbidos

A terceira edição do Folio tem como tema "Revoluções, revoltas e rebeldia". Neste contexto, o IHC-FCSH/NOVA e o CES-UC, em colaboração com a Livraria Ler Devagar, organizarão um conjunto de iniciativas de debate cujo programa se encontra em construção.

2, 3 e 4 de Novembro de 2017 , todo o dia > FCSH/NOVA, Lisboa

Organização: IHC-FCSH/NOVA e Cultra

A Revolução de Outubro - III Congresso Internacional Karl Marx

O congresso contará com a participação de cerca de 50 investigadores internacionais, tendo como key-note speakers Alberto Toscano (Goldsmiths College, Universidade de Londres) e Yuri Slezkine (Universidade da Califórnia, Berkeley). Contará também com a participação de investigadores de diferentes universidades e instituições portuguesas, nomeadamente: Alfredo Caldeira, António Pedro Pita, Boaventura de Sousa Santos, Fernando Rosas, Francisco Bairrão Ruivo, Francisco Louçã, Giulia Stripoli, João Madeira, José Pacheco Pereira, José Neves, Luís Farinha, Luís Trindade, Manuel Deniz Silva, Manuel Loff, Mário Machaqueiro, Mário Vieira de Carvalho, Miguel Cardina, Miriam Halpern Pereira, Paula Godinho, Ricardo Noronha, Steven Forti.

O programa completo será anunciado brevemente.

2 de Novembro de 2017 , 18h00 > Fundação Mário Soares, Lisboa

Organização: Fundação Mário Soares

Exposição

1917: Revolução de Outubro
Petrogrado - Lisboa

A exposição é inaugurada no dia 2 de Novembro, ficando em exibição até ao final de 2017.

24 e 25 de Novembro de 2017 > CES-UC, Coimbra

Organização: CES-UC

Congresso

Cem Anos que Abalaram o Mundo: Trajetórias de Emancipação

O centenário da Revolução Russa serve de ocasião para o CES-UC promover uma reflexão alargada sobre os caminhos emancipatórios que atravessaram o mundo no século XX e sobre as suas heranças, legados e limites. Enquanto lugar-símbolo das esperanças e dos impasses de um novo modelo socialista, 1917 constitui uma oportunidade analítica para pensar experiências e projetos que, na sua esteira e fora dela, foram construindo trajetórias alternativas ao capitalismo, ao colonialismo e ao patriarcado. Num tempo em que as hipóteses emancipatórias parecem pulverizadas, este encontro internacional procurará refletir criticamente sobre as mudanças ocorridas ao longo do século XX e sobre o lugar e a natureza dos imaginários de transformação social e libertação nos dias de hoje.

Programa a anunciar brevemente.

Data e horas a definir > Cinemateca Portuguesa, Lisboa

Organização: Cinemateca Portuguesa

Ciclo de cinema em torno da representação da revolução de 1917 no cinema soviético e internacional

Programa completo a anunciar brevemente.

Ao longo de todo o ano

Organização: IHC-FCSH/NOVA

Programa para Bibliotecas e Escolas

Em colaboração com a Direcção Geral dos Arquivos e Bibliotecas, em bibliotecas da rede pública, decorrerão sessões de debate em torno da História da Revolução de Outubro. O mesmo acontecerá em escolas abrangidas pelo programa Laboratório de História do IHC-FCSH/NOVA.

O IHC é uma unidade de investigação da FCSH/NOVA dedicada ao estudo, formação e disseminação da história contemporânea e da contemporaneidade, em geral, e de Portugal, em particular. O presente programa pretende assinalar o centenário da Revolução de Outubro de 1917, alargando os conhecimentos dos participantes acerca deste acontecimento, e analisar o impacto da revolução russa na sociedade portuguesa. Integrando a missão de abertura e responsabilidade do IHC, através do Laboratório de História, propõe-se um programa dedicado ao público em geral que permita abranger a comunidade escolar e a sociedade, fundado na partilha e debate.

Programa Proposto:

PARTICIPANTES: Mínimo de 10 e máximo de 30
  • 1.ª Sessão (2 horas)

    Intervenção sobre o tema, seguida de debate.

  • 2.ª Sessão (3 horas)

    Passagem dum filme ou documentário, escolhido na 1.ª sessão, seguido de debate.

As bibliotecas interessadas neste programa devem contactar a DGLAB, mencionando as datas mais convenientes, até ao próximo dia 20 de Janeiro de 2017.

A calendarização definitiva das sessões será feita entre o IHC-FCSH/NOVA e as bibliotecas interessadas. Após a calendarização da actividade, o IHCFCSH/NOVA enviará às bibliotecas a bibliografia relacionada com o tema.

NOTA: as escolas devem garantir o transporte, a alimentação e o alojamento (caso necessário).

Coordenação da iniciativa: Luísa Metelo Seixas, Constantino Piçarra e Fernando Rosas.

Contacto: luisaseixasihc@fcsh.unl.pt

Histórico:

6ª feira, 6 de Janeiro de 2017 , 15h00 > FCSH/NOVA, Torre B, Auditório 3, Lisboa

Organização: IHC-FCSH/NOVA e CES-UC

Apresentação do programa de iniciativas, por José Neves (IHC-FCSH/NOVA) e Teresa Cunha (CES-UC)

Apresentação do website www.1917.pt, por Alfredo Caldeira (FMS)

Este website é o lugar onde poderá encontrar toda a informação acerca das iniciativas organizadas no âmbito do presente programa, constituindo-se igualmente como um arquivo onde iremos conservar e disponibilizar registos audiovisuais de debates, colóquios e conferências que organizaremos, e que versam sobre a história política, social e económica do século XX. O website oferecerá ainda elementos informativos e de debate acerca da história da revolução de Outubro e da URSS, nomeadamente nos domínios das artes e cultura, do design à performance, da fotografia à pintura, do documentarismo à propaganda (com a colaboração, entre outros de: José Filipe Costa, Luís Raínha, Luísa Cardoso, Maria João Castro, Mário Moura, Paulo Catrica).


Mesa-redonda: A Revolução de Outubro, Que fazer?

Sob o mote A Revolução de Outubro, Que fazer?, serão debatidas tanto as repercussões de 1917 ao longo do século XX como os desafios que o seu centenário coloca, quer a nível historiográfico e científico quer no plano cívico e político. Nesta mesa-redonda estarão presentes os historiadores Fernando Rosas (IHC-FCSH/NOVA) e José Pacheco Pereira, a antropóloga Paula Godinho (IHC-FCSH/NOVA) e Teresa Almeida Cravo (CES-UC), especialista em relações internacionais. A moderação estará a cargo do historiador Miguel Cardina (CES-UC).

5ª feira, 12 de Janeiro de 2017 , 18h30 > Teatro Maria Matos, Lisboa

Organização: Teatro Maria Matos

Everything was forever, until it was no more, Conferência por Alexei Yurchak

Para o povo soviético, o colapso do Estado surgiu como uma surpresa completa e, ao mesmo tempo, como algo de natural. Esse evento dramático revelou um paradoxo presente no seio do sistema soviético: se a maioria dos seus cidadãos experimentava este sistema como eterno e imutável, também tinham estado sempre preparados para a sua desintegração. No livro Everything Was Forever, Until It Was No More: The Last Soviet Generation, Alexei Yurchak, professor de Antropologia na Universidade de Califórnia, Berkeley, usa este paradoxo como ponto de partida para a análise da vida soviética durante o período do "socialismo tardio". Por um lado, a imagem do socialismo que emerge neste livro é muito diferente dos estereótipos que reduzem a realidade soviética a um simplismo binário: estado de opressão versus resistência popular, cultura oficial versus não oficial, linguagem totalitária versus linguagem privada, mentira pública versus verdade escondida. Por outro, o próprio conceito de hipernormalização que Yurchak introduz revela-se potencialmente útil para análise de outros sistemas políticos, como comprovou o célebre documentário de Adam Curtis, HyperNormalisation, estreado em 2016.
Nesta conferência, Alexei Yurchak discutirá os argumentos principais do seu livro, estendendo esta reflexão à análise do capitalismo contemporâneo.

Uma parceria entre o Teatro Maria Matos e o IHC-FCSH/NOVA, enquadrada no seu programa em torno do Centenário da Revolução de Outubro. Apresentação no âmbito da rede House on Fire, com o apoio do Programa Cultura da União Europeia.

6ª feira, 13 de Janeiro de 2017 , 18h00 > FCSH/NOVA, Edifício ID, Sala Multiusos 3 (Piso 4), Lisboa

Organização: IHC-FCSH/NOVA

Bodies of Lenin, Conferência por Alexei Yurchak

This conference analyses the project of maintaining the body of V. I. Lenin in the Lenin Mausoleum in Moscow for almost a century. It focuses on the materiality of this particular body, the unique biological science that developed around the project, and the peculiar political role this body has performed.
Alexei Yurchak é professor do Departamento de Antropologia da Universidade da Califórnia, Berkeley.

A vinda a Portugal de Alexei Yurchak, professor no Departamento de Antropologia da Universidade da Califórnia, Berkeley, é possível devido a uma parceria entre o IHC-FCSH/NOVA e o Teatro Maria Matos. Decorre no âmbito do programa do IHC-FCSH/NOVA e do CES-UC em torno do centenário da Revolução de Outubro.

4ª feira, 8 de Fevereiro de 2017 , 17h00 > Sala Keynes, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

Organização: CES-UC

A Revolução Russa e o Ecossocialismo, Conferência por Michael Löwy, moderada por Teresa Cunha (CES).

Apresentação do livro Utopias, de M. Löwy (edição Ler Devagar/UNIPOP), apresentado por José Neves (IHC-FCSH/NOVA) e João Rodrigues (CES/FEUC).

O sociólogo Michael Löwy nasceu no Brasil na década de 1930, filho de pais judeus vindos de Viena. Iniciou os seus estudos em ciências sociais na cidade de São Paulo, mas foi com a ida para Paris, onde vive, que o trabalho se desenvolveu. Löwy traça pontes entre o pensamento de tradição marxista, o surrealismo e o anarquismo. Os seus escritos sobre a influência do marxismo na América Latina tiveram grande repercussão internacional, mas a sua obra estende-se a temas tão amplos como o do judaísmo libertário e o do romantismo de inspiração socialista.

A vinda a Portugal de Michael Löwy é possível devido a uma parceria com o Teatro Maria Matos e decorre no âmbito do programa do IHC-FCSH/NOVA e do CES-UC em torno do Centenário da Revolução de Outubro.

5ª feira, 9 de Fevereiro de 2017 , 17h30 > Teatro Maria Matos, Lisboa

Organização: Teatro Maria Matos

Romantismo e revolução

17h30: Introdução à obra de Michael Löwy, por José Neves

18h30: Conversa entre Michael Löwy e António Guerreiro

O sociólogo Michael Löwy nasceu no Brasil na década de 1930, filho de pais judeus vindos de Viena. Iniciou os seus estudos em ciências sociais na cidade de São Paulo, mas foi com a ida para Paris, onde vive, que o trabalho se desenvolveu. Löwy traça pontes entre o pensamento de tradição marxista, o surrealismo e o anarquismo. Os seus escritos sobre a influência do marxismo na América Latina tiveram grande repercussão internacional, mas a sua obra estende-se a temas tão amplos como o do judaísmo libertário e o do romantismo de inspiração socialista. Nesta conversa, entre Michael Löwy e o crítico e ensaísta António Guerreiro, será abordada a relação entre Romantismo e Revolução.

A anteceder este encontro, a partir das 17h30, terá lugar uma introdução geral à obra de Löwy, em particular ao seu pensamento marxista romântico. Esta apresentação estará a cargo de José Neves, professor do departamento de História da FCSH//NOVA, investigador do IHC e editor do livro Utopias: Ensaios sobre Religião, Política e História (2016), uma coletânea de ensaios de Michael Löwy.

Uma parceria entre o Teatro Maria Matos e o IHC-FCSH/NOVA, enquadrada no seu programa em torno do Centenário da Revolução de Outubro. Apresentação no âmbito da rede House on Fire, com o apoio do Programa Cultura da União Europeia.

Programação Maria Matos | Página do evento no facebook

6ª feira, 10 de março de 2017 , 18h00 > Livraria Linha de Sombra, na Cinemateca Portuguesa

Organização: CEC-FLUL, AIM, IHC/FCSH-UNL

Paisagem, cinema e revolução: o caso soviético

No dia 10 de março, na livraria Linha de Sombra, na Cinemateca Portuguesa, pelas 18 horas, terá lugar uma mesa-redonda com CARLOS MUGUIRO (Universidad de Navarra e Escuela de Cinematografía y del Audiovisual de la Comunidad de Madrid) e JOSÉ NEVES (Instituto de História Contemporânea - Universidade Nova de Lisboa) sobre a estética da paisagem do cinema revolucionário russo e a Revolução de 1917.

A mesa-redonda marcará também o lançamento do número 4.1 da Aniki: Revista Portuguesa da Imagem em Movimento, que integra o dossier temático "Paisagem e Cinema", editado pelos investigadores Filipa Rosário e Iván Villarmea Álvarez.

Este evento integra o ciclo de iniciativas "Cem Anos da Revolução de Outubro", org. IHC/FCSH-UNL e CES/UC.

A Aniki é publicada pela AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento com o apoio do Instituto de História Contemporânea (FCSH-UNL).

Evento facebook: https://www.facebook.com/events/269497063463709/

2ª feira, 20 de março de 2017 , 16h00 > Auditório da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

Organização: Programas de Doutoramento "Pós-Colonialismos e Cidadania Global", "Human Rights in Contemporary Societies" e "Democracia no séc. XXI"

As ciências sociais 100 anos depois da revolução russa

Aulas Magistrais | Boaventura de Sousa Santos

Boaventura de Sousa Santos nasceu em Coimbra, a 15 de Novembro de 1940. É Doutorado em Sociologia do Direito pela Universidade de Yale (1973), Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Distinguished Legal Scholar da Universidade de Wisconsin-Madison.

É Director do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra e Coordenador Científico do Observatório Permanente da Justiça Portuguesa.

Temas de pesquisa: Epistemologia, sociologia do direito, teoria pós-colonial, democracia, interculturalidade, globalização, movimentos sociais, direitos humanos.

Os seus livros têm sido publicados em português, inglês, italiano, espanhol, alemão, francês e chinês.

Mais informações em: http://ces.uc.pt/eventos/index.php?id=15881&id_lingua=1

5ª feira, 6 de abril de 2017 , 16h00 > >FCSH/NOVA, Edifício ID, Sala Multiusos 2, Lisboa

Organização: Grupo de Investigação "Cultura, Identidades e Poder" do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Seminário "Cinematic Identification and Uses of the Past"

Oradora: Maria Brock (Centre for Baltic and East European Studies and the School of Cultural and Critical Theory at Södertörn University, Estocolmo).

Comentários de Catarina Alves Costa (CRIA).

This presentation will showcase some initial results from a project investigating the role of cinematic images in personal memory in Russia and East Germany. So far, both contexts have been subject to analyses that frequently posit a kind of pathological relationship to their pre-transition past, with little work that examines the impact of representations of the past on subjectivities.
The study analyses the impact of cinema on subjective representations of history, using the example of Russian and German films that speak of the (recent) socialist past. It examines whether cinematic images help activate particular modes of identification with historical images of the nation via fantasmatic processes, and asks whether films are better equipped to provide an answer to questions about the nature of the past. If such images do have significance beyond that of giving visual shape to otherwise fragmented visions, then it opens up further potential for mythologisation and instrumentalisation.
Through a comparative dimension, the project will identify particularities as well as commonalities of the ‘afterlives’ of socialism in Russia and the former German Democratic Republic (GDR), looking at how these feed into ideas of the present as well as visions of the future. The aim is to explore the relationship between history, its cinematic representation and psychic processes of identification in the postsocialist world.


Sobre a oradora:

Maria Brock is a postdoctoral researcher at the Centre for Baltic and East European Studies (CBEES) at Södertörn University, Stockholm. She holds an MSc in Social and Cultural Psychology from the London School of Economics and Political Science and a PhD in Psychosocial Studies from Birkbeck. Broadly speaking, her research is located at the interstices of the humanities and social sciences, and evaluates the psychosocial dynamics of transitional and post-transitional societies focusing on the former Eastern Bloc, and the former GDR and Russia in particular.

Sobre este seminário:

A Oficina de História e Imagem (OHI) quer ser um lugar de reflexão e debate entre criadores, investigadores e arquivistas de diferentes áreas do saber que se interessam pelo papel da imagem (fotografia, cinema, artes visuais) na mediação do passado. Através da organização de encontros de diferentes formatos, a OHI pretende estimular uma reflexão transdisciplinar sobre as metodologias analíticas, os desafios teóricos e as responsabilidades políticas inerentes ao uso de imagens para a construção do conhecimento histórico.

Os seus promotores têm diferentes percursos, especializações e objectos de pesquisa, fazendo parte do Grupo de Investigação "Cultura, Identidades e Poder" do Instituto de História Contemporânea da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Evento facebook: https://www.facebook.com/events/1244312339016596/